Desendeusando o Dízimo!

Temos conversado sobre o dízimo com algumas pessoas e perguntado o que elas acham a respeito. Vimos pessoas confusas, convictas e outras que nem ousaram falar sobre o assunto. Antes de começar, gostaria de citar uma declaração do Messias: “ninguém pode servir dois deuses, pois irá agradar a um e desagradar ao outro, por isso digo que ninguém pode servir ao Pai e a Mamon/Riquezas”. Então vamos cobrir ponto por ponto pra não ficar nenhuma dúvida.

o Altíssimo ou Mamon?

Dízimo na Velha Aliança

1. Primeiro

O dízimo primeiramente é mencionado no antigo testamento, onde Abraão deu de sua espontânea vontade, 10% dos despojos de guerra (tudo o que se toma do inimigo) para o sumo sacerdote Melquesedeque na sua volta pra casa. Abraão fez isso apenas UMA vez.

Voltando Abrão da vitória sobre Quedorlaomer e sobre os reis que a ele se haviam aliado, o rei de Sodoma foi ao seu encontro no vale de Savé, isto é, o vale do Rei. Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho e abençoou Abrão, dizendo: Bendito seja Abrão pelo Criador dos céus e da terra. E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou seus inimigos em suas mãos. E Abrão lhe deu o dízimo de tudo. (Gênesis 14)

2. Segundo

A segunda vez que o dízimo é mencionado, foi quando Jacó edificou um altar para o Altíssimo (sem o Criador ter pedido) e prometeu dar a Ele, 10% de tudo que lhe fosse concedido. Dar ao Pai quer dizer dar ao próximo. Mais uma vez, oferta que ele mesmo estipulou de seu livre arbítrio e não diante da Lei.

3. Terceiro

Quando o Altíssimo escolheu Moisés para libertar o povo do Egito, precisava haver algo que diferenciasse seu povo das nações pagãs e isso foi a Lei de Moisés, que serviu de marca para os judeus e que depois serviria de aio (ponte) para nos conduzir a Cristo. A lei dos dízimos aparece em Deuteronômio 14, em duas partes. Provavelmente voce NUNCA ouviu, nem leu esse texto, mas com certeza é surpreendente, pois é TOTALMENTE diferente da prática que vemos hoje.

Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir anualmente. COMAM O DÍZIMO do cereal, do vinho novo e do azeite, e a primeira cria de todos os seus rebanhos na presença do Senhor, o seu Deus, no local que ele escolher como habitação do seu Nome, para que aprendam a temer sempre o Senhor, o seu Deus.

Mas, se o local for longe demais e vocês tiverem sido abençoados pelo Senhor, e não puderem carregar o dízimo, pois o local escolhido pelo Senhor para ali pôr o seu Nome é longe demais, troquem o dízimo por prata, e levem a prata ao local escolhido. Com a prata comprem o que quiserem: bois, ovelhas, vinho ou outra bebida fermentada, ou qualquer coisa que desejarem. Então juntamente com suas famílias COMAM e alegrem-se ali, na presença do Senhor. (Dt 14)

Simplesmente Moisés está dizendo que você pegaria o dízimo e COMERIA TUDO junto com sua família. E se o lugar da refeição fosse muito longe, você venderia seus dízimos e compraria de alguém para COMER tudo aquilo que você desejasse: milho, vinho ou até bebida fermentada, que quer dizer cachaça nos dias de hoje 🙂 E Continua assim…

E nunca se esqueçam dos levitas que vivem em suas cidades, pois eles não possuem propriedade nem herança próprias. Ao final de cada três anos, tragam todos os dízimos da colheita do terceiro ano e armazene-os em sua própria cidade, para que os levitas, que não possuem propriedade nem herança, e os estrangeiros, os órfãos e as viúvas que vivem na sua cidade venham COMER e saciar-se, e para que o Criador, o seu Deus, o abençoe em todo o trabalho das suas mãos. (Dt 14)

Depois, a cada três anos, você separaria seus dízimos e daria de comer para as pessoas que não tem: os estrangeiros, os levitas e viúvas. Essa é a parte que o Altíssimo mais se agrada, pois assim se cumpre sua lei do amor ao próximo.

4. Quarto

Quando Salomão construiu o templo, que o Atíssimo também NÃO pediu, os dízimos eram requeridos do povo para manutenção do mesmo e para ALIMENTAR as viúvas, os pobres e os estrangeiros. Porque essa parte de sustentar os necessitados os líderes sempre deixam de fora?

Maquias 3, a mais “assustadora” de todas as Escrituras, se lida da maneira que foi escrita, ou seja, linearmente, pode-se entender de quem realmente o profeta está falando. Já no início do capítulo 2, o Altíssimo direciona a profecia para os sacerdotes e NÃO para o povo. Não gostamos de usar textos picados para provar o que estamos falando, como fazem os cães gulosos, mas para simplificar, colocaremos apenas o início da profecia e você continue lendo a partir daí. Esses cães usam a divisão de capítulos  e versículos para dar a impressão de que a partir do capítulo 3 o assunto mudou. Lembre-se também que epígrafe, aquele “título” que fica em cima dos blocos de textos, não foram escritos pelos autores das cartas. EVITE ler esses títulos, pois eles direcionam seu pensamento e quem deveria fazer isso é o Espírito do Altíssimo!

E agora esta advertência é para vocês, ó sacerdotes. Se vocês não derem ouvidos e não se dispuserem a honrar o meu nome, diz o Senhor dos Exércitos, lançarei maldição sobre vocês, e até amaldiçoarei as suas bênçãos. Aliás já as amaldiçoei, porque vocês não me honram de coração. Por causa de vocês eu vou destruir a sua descendência; esfregarei na cara de vocês os excrementos dos animais oferecidos em sacrifício em suas festas e lançarei vocês fora, juntamente com os excrementos. Malaquias 2

Para explicar de maneira bem clara o que o Eterno estava falando, é legal você entender a origem da palavra benção, que é uma transliteração, e que quer dizer: CHUVA! O povo naquela época dependia totalmente da agricultura para sobreviver, por isso em muitas ocasiões no velho testamento, eles oravam para que o Senhor derramasse sobre eles: benção/chuva. Também pediam misericórdia para que o exército do Altíssimo não atacasse suas plantações. E qual era esse exercito? Pragas, gafanhotos e outros devoradores de lavouras. Pesquise depois sobre isso para não sairmos do foco.

Pode um homem roubar de Deus? Contudo vocês estão me roubando. E ainda perguntam: Como é que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas ALÇADOS. Vocês estão debaixo de grande maldição porque estão me roubando; a nação toda está me roubando.

Tragam o todo dízimo ao depósito do templo, para que haja ALIMENTO em minha casa. Ponham-me à prova, diz o Senhor dos Exércitos, e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos (chuva) que nem terão onde guardá-las. Impedirei que pragas devorem suas colheitas, e as videiras nos campos não perderão o seu fruto, diz o Senhor dos Exércitos. Então todas as nações os chamarão felizes, porque a terra de vocês será maravilhosa, diz o Senhor dos Exércitos. Malaquias 3

Quando Ele diz que toda nação o roubou, diz literalmente toda nação de Israel, que entregava 10% da suas colheitas e animais para o templo por dois motivos:

a) Eles dependiam do sumo sacerdote para fazer os atos religiosos que a Lei de Moisés requeria, por isso tinham que “pagar” para manter o templo e os sacerdotes. Parece familiar?

b) Existia um depósito no templo que armazenava esses dízimos e ofertas, pra quando a viúva, o forasteiro, o levita ou necessitado precisasse, eles podiam recorrer ao templo para se alimentar. Isso estaria cumprindo a lei do Criador, que é e sempre foi: amor ao próximo.

A maldição caiu sobre eles, porque esses sacerdotes estavam negligenciando a causa do necessitado, pois veja que especificamente o Altíssimo diz: vocês estão me roubando nos dízimos e ofertas ALÇADOS, ou seja, coletados, recolhidos (nas traduções mais novas você em NÃO vai encontrar o “alçadas”). Isso significa que o povo estava fazendo sua parte. Se os sacerdotes fossem fiéis, o Criador derramaria chuva para que o povo colhesse mais e automaticamente doasse mais.

Dízimo na Nova Aliança

Primeiramente, vamos passar pelo ABC do novo e velho testamento. Alguns dizem que Jesus falou sobre o dízimo, então automaticamente faz parte de uma lei da nova aliança. Na verdade a nova aliança começa na morte e ressurreição do Messias e não no seu nascimento e caminhada. Paulo afirma isso em Hebreus 9: “No caso de um testamento, é necessário que comprove a morte daquele que o fez, pois um testamento só é validado no caso de morte, uma vez que nunca vigora enquanto está vivo aquele que o fez”. Ele veio para nos ensinar a ser como Ele e amarmos o próximo como a nós mesmo, pois o resto ele faria.

O Messias disse: Não pensem que vim para quebrar a Lei, ao contrário, vim para cumprí-la. Isso quer dizer que ele cumpriu todos os requisitos da Lei, não as doutrinas que eram preceitos de homens, mas a Lei verdadeira do Pai. Assim, ele se fez o único qualificado para consumar o novo pacto e nos livrar da maldição da Lei de Moisés, que consistia em quase 700 ORDENANÇAS e que foi posta por causa dos pecados. Assim, podemos andar livres de sacerdotes e religiosidades. Já, NENHUM ato nos justifica, sendo o amor ao próximo a única Lei que devemos cumprir para sermos salvos.  Leia Tiago 1

O Salvador veio para se fazer pecado por nós e pagar o preço da Lei, para de uma vez por todas, ser o sacrifício Perfeito e agradável diante do Pai, para que todo que Nele crer, tenha relacionamento com o Altíssimo, agora com renovação de vida. Com isso, todo o peso da Lei caiu por terra na morte e ressurreição de Jesus, tirando-nos de baixo do julgo pesado da Lei e fazendo-nos co-herdeiros do Reino, para vida eterna.

Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens, que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo.

Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio. Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ORDENANÇAS, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito. (Efésios 2)

Paulo afirma que ele pagou o preço da Lei, especificamente em forma de ordenanças. Também fala isso em Gálatas e em Colossenses.

Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti. De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão. Todos aqueles, pois, que são das obras da Lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da Lei, para fazê-las.

E é evidente que pela Lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a Lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá. Cristo nos resgatou da maldição da Lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro. Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito. (Gálatas 3)

Outra coisa, dízimo NUNCA foi ordenado pelo Salvador e sim MENCIONADO, pois ainda todos estavam debaixo da Lei. Inclusive ele falou criticando, dizendo que eles entregavam o dízimo como pretexto de salvação (assim como nos dias de hoje), logo coavam o mosquito, mas engoliam o camelo, pois cumpriam esses preceitos da Lei, mas odiavam o próximo e planejavam matá-lo! Cristo e os apóstolos sempre ensinaram a ajudar os pobres e ajudar no trabalho do Criador com alegria, mas NUNCA por obrigação. Vou usar as palavras de Paulo:

Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra. Como está escrito: Distribuiu, deu os seus bens aos necessitados; a sua justiça dura para sempre. 2 Coríntios

Quando ele diz “acrescentada toda a graça”, quer dizer que o Pai vai te dar mais, pra você continuar fazendo mais e não para acumular tesouros nesse mundo, onde a traça e a ferrugem corroem.

O Messias nos deu apenas UMA lei. Quando colocamos dízimos como mandamento, negamos o que Ele fez na cruz, pois vivemos debaixo do favor imerecido (graça) e não da lei. Temos que entender que no antigo testamento, o povo deixava seus dízimos no templo para mantê-lo, mas depois do véu se rasgar de alto abaixo e as PEDRAS se fenderem, NÓS nos tornamos o templo, pois não habita o Altíssimo em casas feitas por mãos de homens.

Não devemos dar para o Pai, e sim dar diante do Pai. O Altíssimo não precisa de dinheiro. Devemos imitar nosso Salvador? Paulo disse: sede meus imitadores, como eu sou imitador do Messias. Quantos templos eles construíram? A responsabilidade de manter um prédio onde acontece a reunião dos santos é 100% nossa, pois o Criador NUNCA ordenou que fizéssemos isso. Não deixem mais te enganar com esse papo de dízimo e não deixem anular aquilo que foi conquistado na cruz. Dê o que você achar justo e PREFIRA SEMPRE dar aos pobres! Também não dê somente o pão físico para os necessitados, mas sempre o Pão Vivo, pois quem come apenas na carne, morre, mas quem “come” as Palavras vinda da boca do Pai, por meio do Messias, tem a vida eterna, que no final das contas é o que interessa. Espalhe por aí…

Anúncios
Desendeusando o Dízimo!

20 comentários sobre “Desendeusando o Dízimo!

  1. Lay disse:

    Acredito que existem muitas particularidades na Bíblia que ainda serão muito mal interpretadas e consequentemente darão como já dão, margem a todo o tipo de doutrina e regras e cada vez mais pessoas passarão por essa vida sem realmente terem ao menos sentido a presença de Deus, verdadeiramente. O dízimo mais do que tudo, durante anos tem sido usado como pretexto para o abuso da fé das pessoas, que ao meu ver, nem sempre são assim tão vítimas, pois, já pude presenciar várias vezes, líderes falando em que quem der o dízimo irá receber o dobro, o triplo, assim a pessoa acaba dando o dízimo e oferta com a única intenção de receber este dobro e triplo de volta, é na verdade uma espécie de investimento, como na bolsa de valores, se você investiu e ganhou, continuará investindo, se não, não investirá mais….Tudo no fim acaba sendo pelo poder e o amor ao dinheiro, as igrejas não estão imunes a cultura capitalista. Quando que analisando pelos textos acima, a intenção do dízimo em sua essência era para no caso, manter o templo e servir de subsídio para viúvas, órfãos e demais pessoas necessitadas, mas, como já sabemos, o dízimo, assim como outras situações na Bíblia foram deturpadas e mal usadas para o deleite de alguns que se sentem “santos privilegiados” acima do bem e do mal. Não acho que isso tenha uma solução a curto prazo, mas, creio que a conscientização leva a nos tornarmos seres humanos melhores, não acho que não se deva dar o dízimo e ofertas, apenas acho que isto deve ser da escolha de cada um sem que tenha aquela “sombra” de maldição, eu mesma, gostaria muito de utilizar o dízimo e oferta podendo vê-los empregados em algo concreto de ajuda aos mais necessitados, vivemos numa correria e nem sempre conseguimos parar e ajudar a quem precisa, não digo, assistencialismo, pois, este não é o papel da igreja, temos governo ou deveríamos ter, para isso, mas, poxa, já vi pessoas em situações dificílimas e ai o líder apenas disse para essa pessoa orar e se ela tinha fé essa situação iria mudar. Tudo bem, oração é o principal, mas, naquele momento o que deveria ter sido feito de forma prática era dar uma assistência financeira aquela pessoa…É complicado quando se tem dinheiro no meio, o ego, a vaidade acaba falando mais alto do que qualquer outra coisa. Então acho que consciência dos erros, disposição para mudar, cautela, bom senso e amor, nunca serão demais, em casos como esse! Abraços a todos e muita serenidade!

    1. Servo de Jesus disse:

      Lay, concordo em partes com você, MAS EU ACHO QUE TEM SOLUÇÃO sim. Se as pessass lessem não seriam enganadas por pastores de quinta categoria. Acho muito cômodo acreditar nessas indulgências modernas. Mas num todo concordo com você.

  2. Jota disse:

    É, realmente esse estudo é completo… nunca havia pensado pelo lado da velha aliança. Sempre achei que os pastores estavam vendendo a fé… e bíblia confirma

  3. Lucio disse:

    Não sei, acho que ainda tem algum fundamento o que os pastores pregam não acha? Será que estariam tdo esse tempo ensinando errado? Difícil acreditar.

  4. Geise Matos disse:

    Conheço vários pastores que acreditam no que pregam e realmente sabem o que estão fazendo. Dízimo pra mim é bíblico e ordenado. Não vejo porque mudar o que ta fucnionando.

      1. vezes7 disse:

        @Denise, não é bem assim! Se acontece escândalo atrás de escândalo com o dinheiro que deveria alimentar e sustentar aqueles que não tem, e você continua contribuindo, vocês tem a mesma carga de culpa sobre a situação!

        É muito cômodo dar o dinheiro pro pastor e não ajudar o próximo diretamente esperando que ele (o pastor) o faça…

  5. Marcos disse:

    Igrejas que têm a doutrina do dízimo, apresentação de criança na Igreja, guarda do sábado, são Igrejas que seguem o Velho Testamento, deveriam tomar Ceia de sangue de bodes, para lembar de Moisés

    1. Filha de Deus disse:

      Por acaso nunca leu a parte em que Jeus não veio para abolir a lei,mas sim para cumpri-la.O velho e o novo testamento foram separados por questões didáticas.Quer dizer então que o velho testamento não serve para nada?Então pq é que ainda lemos?O sábado é o quarto mandamento de Deus.Deus não condena apresentação de crianças e sim o batismo delas,pois ainda não podem dizer se aceitam a Cristo.E o dízimo,bom…será que todos os pastores são fariseus?

      1. vezes7 disse:

        @Verônica, tudo certo? Nós acreditamos no pagamento da lei pelo Messias, o que nos fez livres do julgo pesado e das ordenanças da lei…

  6. Discernimento disse:

    Estudando os textos (o capítulo completo) podemos analisar que o s dízimos na verdade foram ações do homem para Deus e não de Deus para o homem, Abrão tomou a iniciativa de dar o dizimo por vontade própria; Jacó na verdade fez uma promessa (voto) a Deus dizendo que ia dar a décima parte a Deus, mais uma vez por opção própria, Deus não pediu nada. Moisés então institui o dizimo como forma de lei para os judeus, dizendo que a décima parte de toda a colheita deveriam ser comida pelos familiares e posteriormente dividida entre os levitas, viúvas, órfãos, como mantimento (comida) do templo em Malaquias 3, nos mostra a sempre presente preocupação de Deus para com todos, principalmente os que sofrem mais (viúvas, órfãos). Em todos os textos vemos que o dizimo tratava-se de alimentos (colheitas), por isso podiam ser comidos. Também vemos que Jacó derramou azeite e vinho como pagamento do voto que havia feito para Deus, em nenhum momento vemos papel-moeda e quando vemos a palavra prata, ela não deve ser entregue a Deus, antes servia para comprar mantimentos (alimentos). O que podemos concluir de tudo isso é que:
    1) o dizimo eram colheitas, alimentos, azeite, vinho e não dinheiro (papel-moeda ou moeda);
    2) o dizimo tinha dois propósitos: servir para o deleite (comam o dizimo) dos que separavam o dizimo para Deus, para que na presença do Senhor o temessem e soubessem que Ele era Deus. E também para servir de mantimento (alimento) para os levitas, órfãos, viúvas e estrangeiros, por isso, deveriam ser estocados para quando estes precisassem poderiam recorrer ao templo. Mas, os sacerdotes estavam roubando a Deus nisso, pois, os dízimos e oferta não estavam atendendo a este propósito.
    Nos dias de hoje o que vemos?
    O dinheiro no caso substituiria o alimento (mantimento) que deveria ser estocado no templo que segundo o entendimento comum é a igreja que as pessoas congregam. Ok. Mas, a questão é: Esse dinheiro está sendo comido por todos? Sim, porque se era pra comer os dízimos (Dt. 14), tudo bem, ninguém vai comer dinheiro, então esses dízimos (dinheiro) está sendo trocado por alimentos e estes estão sendo comido por aqueles que dão o dizimo? As viúvas, os órfãos, os levitas, os estrangeiros, estão sendo alimentados?
    Alguns podem falar das obras assistenciais de algumas igrejas, sim, elas existem, mas, todos os que estão em dificuldade e procuram a essa igreja são ajudados? Nem sempre e quando o são é depois de cumprir certas condições, como ser membro ou ter o nome num cadastro da social da igreja.
    Na verdade o que vemos é uma distorção daquilo que seria o propósito do dizimo, o dizimo em sua maioria é usado para a construção de verdadeiros palácios (templos feitos de alvenaria) e como qualquer grande empreendimento tem alto custo de manutenção, mas, Deus não nos pediu isso assim como não pediu para Jacó construir um altar para Ele, foi Jacó quem tomou a iniciativa. Os dízimos são usados para manter uma vida muitas vezes bastante abastada de seus líderes e familiares, muitos recebem salário e alguns salários altíssimos, com os dízimos e ofertas mantemos desde missões até as mansões luxuosas de nossos líderes, ou seja, o propósito do dizimo foi totalmente deturpado. Como podemos ver no Novo Testamento Jesus cumpriu a Lei e fez tudo conforme a lei mandava, porém, nós não estamos debaixo da Lei e sim debaixo da Lei do Amor (Graça), que é a Lei de Jesus. Então se o dizimo já não tem mais o mesmo propósito, também não é mais uma Lei para nós, então os líderes não podem mais nos causar temor por não darmos o dizimo e ofertas e sim eles devem temer por roubarem de Deus esses dízimos e ofertas. O que nossos lideres devem fazer é jogar limpo dizer o que e para o que tal dinheiro vai ser utilizado, e assim de forma voluntária as pessoas devem ajudar, já que você faz uso do local onde você chama de igreja então como comunidade, devemos ajudar a manter aquilo que queremos, então quem quiser um templo enorme e luxuoso que arque com isso, sem reclamar, mas, não venha dizer que isso se trata de dízimos e ofertas porque não é.
    Ou vamos seguir a Bíblia do começo ao fim de forma literal, então preparem seus bois, ovelhas, colheitas, azeite, vinho, e tudo o mais que encontramos nos textos bíblicos ou apenas confiemos no sacrifício expiatório de Jesus e apliquemos a lei do Amor (a Deus, a nós e ao próximo) e sejamos honestos em relação as questões de dinheiro na igreja, que ele seja usado não para manutenção da riqueza e poder de seus líderes e sim para a manutenção de um instrumento da Graça a nós, aos nossos semelhantes e o socorro aos mais necessitados, essa é a função do templo de alvenaria onde cultuamos a Deus!

  7. Michel disse:

    O dízimo é opcional, mas é quanto à parte que Jesus disse vende tudo o que tens e divides com os pobres. Ops!!! É ruim eim!?

  8. ALEX disse:

    OLÁ PESSOAL, NÃO CAÍ DE PARAQUEDAS NESSE SITE, ESTAVA PROCURANDO ESTUDOS SOBRE O DÍZIMO, VISTO QUE TINHA MINHAS DÚVIDAS SOBRE O ASSUNTO E POR ESSE MOTIVO COMECEI A ELABORAR UM ESTUDO PARA MEUS IRMÃOS, JÁ ESTOU QUASE CONCLUINDO PORÉM ESTÁ UM POUCO COMPLEXO, MAS LENDO TUDO QUE VOCÊS ESCREVERAM , CARA QUE MASSA! VOCÊS SIMPLIFICARAM TUDO E EU ENTENDI FÁCIL, O ESTUDO DE VOCÊS FICOU ÓTIMO!!!!!!!!! MAS GOSTARIA DE ABRIR UM PARÊNTESES, NO LIVRO DE 2°CORÍNTIOS 4:04 ESTÁ ESCRITO QUE O deus DESTE SÉCULO CEGOU O ENTENDIMENTO DOS INCRÉDULOS PARA QUE NÃO LHES RESPLANDEÇA A LUZ DA GLÓRIA DE CRISTO QUE É A IMAGEM DE DEUS, E Mateus 15:14 DIZ; Deixai-os; são guias cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão no barranco. E TAMBÉM EM 2º Pedro 1:1. Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. 2. E muitos seguirão as suas dissoluções, e por causa deles será blasfemado o caminho da verdade (Jesus); 3. também, movidos pela ganância,(ou seja o dinheiro) e com palavras fingidas, eles farão de vós negócio; a condenação dos quais já de largo tempo não tarda e a sua destruição não dormita. MUITO BEM, TAMBÉM ESTÁ ESCRITO EM JOÃO 8:36. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. PORTANTO AOS QUE LERAM ESTE ESTUDO E AINDA QUEREM CONTINUAR CEGOS, AVISO! VOCÊS ESTÃO REJEITANDO O PLENO CONHECIMENTO DA VERDADE, ESTÃO SE ENQUADRANDO NA MESMA POSIÇÃO DAS MULHERES NÉSCIAS DE 2º TIMÓTEO 3:06 E 07 QUE APRENDEM SEMPRE MAS QUE NUNCA CHEGAM AO CONHECIMENTO DA VERDADE. AMADOS, ESTÁ TUDO ESCRITO NA BÍBLIA, SÓ NÃO ENXERGA QUEM REALMENTE ESTÁ CEGO. PARABÉNS AOS ELABORADORES DO ESTUDO, CONTINUEM PREGANDO SEMPRE E ORANDO PARA OS QUE AINDA ESTÃO CEGOS. ALEX
            

  9. osvaldo dos santos disse:

    O Senhor disse, vinde benditos pra casa de meu Pai, porque estive com fome e deste-me de comer, estive com sede e deste-me de beber,estive nu e me deste o que vestir, estive preso e foste me visitar, então não preciso pertencer a igreja nenhuma para herdar a vida eterna e sim amar meu próximo, praticando a caridade. porque eu sou a igreja e de mim terá que sair o alimento para quem necessite.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s